Cinefilia - UOL Blog
Posteridade

Frank Miller entrou para o time dos diretores de Hollywood meio que de gaiato. Esteve ao lado de Robert Rodriguez na adaptação de seu "Sin City" e parece ter tomado gosto pela coisa, tanto que não tardou a voltar para detrás das câmeras. "The Spirit" é a versão para o cinema do quadrinho homonônimo do renomado Will Eisner.

O autor e agora cineasta não pensa em inovar, tanto que manteve a mesma estética de Rodriguez, alto-contraste e cenários virtuais. Mas nessa falta de movimentação criativa, o sr. Miller manteve algumas de suas boas características, como o gosto pelas belas mulheres. No elenco de sua nova empreitada Scarlett Johansson, Paz Vega e Eva Mendes. E é ela que estampa o Posteridade da vez.

Com a imagem da descendente de cubanos falando mais do que qualquer comentário meu por aqui, vou me despedindo dessa semana. Enjoy!

Crítica: Velocidade Sem Limites

            A moda “Velozes e Furiosos” parece ainda render alguns trocados aos estúdios, e isso não tem nada a ver com o anúncio do quarto longa daquela franquia. “Velocidade Sem Limites” (Redline, EUA, 2007) é daquelas inexplicáveis fitas que pululam nos cinemas brasileiros em detrimento a obras anos-luz mais interessantes que são relegadas ao mercado de DVDs - alguém aí pensou em Edgar Wright, Simon Pegg e seu recente “Hot Fuzz”?

 

            Mas à história, se é que esse detalhe vá interessar. São dois grandes focos. A linda mecânica que tem uma banda de rock, sabe pilotar como ninguém e tem na morte do pai um grande trauma. Há também o herói de guerra (qual mesmo?) que nem galã é, mas tem bom coração e vai vingar a morte do irmão, além de ganhar a mocinha (lá se foi a “surpresa” do final). Para rechear o arremedo de história, mulheres, Mercedez, Ferraris, mulheres, Porsches, Lamborghinis, mulheres e, bem, velocidade sem limites (belo trocadilho, não?).

            O diretor Andy Cheng parece fazer de tudo para atrair o público de machões-com-testosterona-a-mil. No meio de uma história que envolve corridas e apostas, ele ainda dá um jeito de incluir seqüências com tiroteios, explosões, pancadaria à lá Jet Li (fase Hollywood) e um humor típico dos filmes de rappers americanos, incluindo a cena mais absurda desde a invenção do cinematógrafo com um jatinho pousando em uma estrada depois que uma bitch do apostador Infamous (sacou o nome descolado?) pede para ele encostar a aeronave.

 

            Se você nasceu da combinação de cromossomos XX recomendo passar longe de “Velocidades Sem Limites”, já se em suas células você carrega uma combinação XY (e se em sua cabeça há um pingo de massa cinzenta) vá assistir à Nascar ou qualquer vídeo no You Tube que inclua máquinas super-potentes sobre quatro rodas, que perder 95 minutos com esse... “filme”. Aliás, caro amigo machão, de tudo o que passa na tela nessa hora e meia aproveite mesmo apenas a escultural Nadia Bjorlin e seus incríveis olhos azuis.

 

             Nota: 3

61º Festival de Cannes

O 61º Festival de Cannes terá o brasileiro "Linha de Passe" dos diretores Walter Salles e Daniela Thomas na mostra competitiva, como anunciado hoje pela organização do evento. Entre os 19 filmes que brigam pela Palma de Ouro estão o consagrado Win Wenders e seu "The Palermo Shooting", os vencedores de 2005, Jean-Pierre e Luc Dardenne, com "The Silence of Lorna", além da estréia do roteirista Charlie Kaufman na direção, "Synecdoche, New York".

O Brasil ainda manda para as mostras Un Certain Regard e Cinéfondation, respectivamente, "A Festa da Menina Morta" de Matheus Nachtergaele e "O Som e o Resto", de André Lavaquial.

Espera-se que "Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal" seja o longa de abertura do Festival. Quem preside o júri esse ano é o ator americano Sean Penn.

Abaixo, os concorrentes em Cannes.

"24 City", China, Jia Zhangke
"Adoration", Canadá, Atom Egoyan
"Changeling", EUA, Clint Eastwood
"Che" (The Argentine, Guerrilla), Espanha/EUA, Steven Soderbergh
"Un Conte de Noel", França, Arnaud Desplechin
"Daydreams", Turquia, Nuri Bilge Ceylan
"Delta", Alemanha/Hungria, Kornel Mundruczo
"Il Divo", Paolo Sorrentino, Itália
"Gomorra", Itália, Matteo Garrone
"La Frontiere de l´aube", França, Philippe Garrel
"Leonera", Argentina/Coréia do Sul, Pablo Trapero
"Linha de Passe", Brasil, Walter Salles e Daniela Thomas
"La Mujer sin cabeza", Argentina, Lucrecia Martel
"My Magic", Singapura, Eric Khoo
"The Palermo Shooting", Alemanha, Wim Wenders
"Serbis", Filipinas, Brillante Mendoza
"The Silence of Lorna", Reino Unido/França, Jean-Pierre e Luc Dardenne
"Synecdoche, New York", EUA, Charlie Kaufman
"Waltz With Bashir", Israel, Ari Folman

Resumo da Semana (14 a 20 de abr)

Depois da obra-prima "Sangue Negro" assisti à porcaria "Velocidade Sem Limites" no cinema e mais dois em casa.

"O Homem que Sabia Demais"* (The Man Who Knew Too Much, 1956). De Alfred Hitchcock

Uma trama relativamente simples mas que tem as melhores características do mestre Hitchcock. Além do preciosismo na direção, o roteiro bem amarrado nos segura até à última cena e sua bem colocada piada. Destaco toda a sequência do concerto, que dá um show de edição e a boa utilização da música - quase incidental - na ambientação da cena. Nota: 8,5

"300" (Idem, 2006). Zack Snyder

Já é a terceira vez que vejo o épico de Snyder e cada vez mais acho que ele teve alguma pretensão de concorrer a Oscars, tentando repetir a façanha de "Coração Valente" ou algo do gênero. Mas o diretor, ainda que o filme seja divertido, não tem bagagem para tal. Ação e muito visual fazem a festa. Nota: 8,5

* Filme visto pela primeira vez

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem