Cinefilia - UOL Blog
Trilha

É verdade, o Trilha vem ficando cada vez menos freqüente, contudo é sempre um prazer colocar mais uma cena musical de respeito aqui no Cinefilia. Tanto que as escolhas ultimamente têm sido cada vez mais especiais pra mim.

No primeiro Trilha de 2008, vem um clássico absoluto, "O Mágico de Oz". Cheio de canções memoráveis, até aquele ano (1939) ele era o filme mais caro da história, por usar grandes cenários, enorme elenco e fotografia colorida - um luxo na época. Seu diretor, Victor Fleming, também foi creditado, na mesma temporada, a outra grandiosa produção, "...E o Vento Levou".

E mesmo com tanto glamour e badalação, o musical teve como maior legado a canção "Over the Rainbow", composta por Harold Arlen e E.Y. Harburg, sendo sua tocante execução feita ainda na parte P&B da história e sem as elaboradas coreografias que Judy Garland e o resto do elenco mostram nos minutos seguintes.

A cena em questão começa com os devaneios da garotinha Dorothy sobre um mundo "sem qualquer problema". Um lugar bem longe, "atrás da lua, além da chuva, acima do arco-íris". Com vocês, a canção que marcou um clássico, uma geração, a carreira de uma atriz e os amantes do Cinema, "Over the Rainbow".

Síndrome de Sinatra

O talento de Scarlett Johansson nas telas todos já conhecem - o motivo dela ainda não ter concorrido a um Oscar, só Deus sabe -, e depois de virar diretora na antologia "New York, I Love You", a bela vai lançar seu primeiro album, intitulado "Anywhere I Lay My Head".

Tom Waits assina as canções e Johansson ainda tem as colaborações de David BowieNick Zinner do Yeah Yeah Yeahs e outros. Abaixo vocês conferem a capa da nova incursão da loira, que deve chegar às lojas na segunda quinzena de maio.

From Troma!

Quem já ouviu falar na tosqueira "O Vingador Tóxico" também já ouviu alguma coisa sobre os estúdios Troma, especilizado em todo tipo de filme trash em qualquer nível possível. E de seu diretor mais notório, Lloyd Kaufman (que dirigiu "O Vingador Tóxico" e suas três continuações), vem mais uma obra-prima do grotesco, "Poultrygeist: Night of the Chicken Dead". Finalizado há dois anos, agora ele tem estréia marcada para 2008.

Como boa alma que sou, trago para vocês o trailer do que meu amigo Deivid definiu como "o verdadeiro significado do termo trash".


Comentários de Última Hora: Quer saber mais sobre o "Poultrygeist"? Acesse o site oficial, com relação a Kaufman, o site Boca do Inferno traz esse ótimo artigo sobre o cara!

Beleza de Hollywood

Que Oliver Stone adora mexer com temas polêmicos e a política norte-americana todo mundo sabe, "JFK", "Nixon" e "Platoon" estão aí como prova. Assim, ninguém estranhou que a nova empretidada do diretor, "W", será uma cinebiografia do presidente George W. Bush, definida nas palavras de Stone como um filme que irá mostrar "como ele deixou de ser um alcoólatra e se transformou na figura mais poderosa do mundo".

Polêmicas a parte, um fato bem menos periculoso, mas também muito curioso, me chamou bastante a atenção: os intérpretes das figuras políticas. Começa no elenco masculino, Josh Brolin ("Onde os Fracos Não Têm Vez"), James Cromwell ("Babe - Um Porquinho Atrapalhado") e Ion Gruffudd ("Quarteto Fanstástico"), interpretarão, respectivamente, Bush filho, Bush pai e Tony Blair. Todos dando uma aparência, digamos, muito mais graciosa aos personagens reais.

Mas na ala feminina é que a coisa chega ao absurso. Quero ver alguém reconhecer Condoleezza Rice Barbara Bush nos rostos de Thandie Newton ("Crash - No Limite") e Ellen Burstyn ("Fonte da Vida"), respectivamente. Sim meus caros, a Secretária de Estado e a ex-primeira dama serão vistas com o rostinho da jovem beleza que virou a cabeça de Tom Cruise em "Missão Impossível 2" e da distinta senhora que à época de "O Exorcista" foi símbolo sexual.

Nada como ter alguém mais bonito que eu para aperecer nas telas. Avisem a Milos Formam que para a minha cinebiografia quero Jake Gyllenhaal me interpretando. E tenho dito.

 

Resumo da Semana (31 mar a 6 abril)

Pela segunda vez eu não vi nenhum filme durante a semana -  a primeira foi em 03/12/07 -, mas dessa vez há um motivo mais que louvável: a semana foi de preparação total para o show de Ozzy Osbourne em São Paulo! Saí na sexta-feira de Uberlândia à meia-noite e voltei ontem às 20h. Estava em êxtase e moído, além de ter dormido algo em torno de sete horas em todos esses dias.

Vi a lenda do rock ao vivo e de lambuja Black Label Society, mas para isso tive que agüentar os fãs xaropes do Korn que estiveram no Parque Antártica. Valeu a pena. "Bark at the Moon", "Crazy Train", "No More Tears" e "Road to Nowhere" foram alguns clássicos do Príncipe das Trevas que pude ver ao vivo, fora "Iron Man", "War Pigs" e "Paranoid", as três da época do Black Sabbath que ele executou. Enfim, foi muito foda!

Confesso que deixei o cinema em segundo plano, mas trago pra vocês uma brincadeira muito divertida que rola antes dos shows. São paródias de filmes e séries muito bem humoradas em que Ozzy aparece como personagens ou como ele mesmo zuando tudo. Confiram! 

Semana que vem voltam os filmes - se o Metallica não aparecer por aqui....

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem