Cinefilia - UOL Blog
Seleção feminina 2

Se "The Other Boleyn Girl" conseguiu uma bela - literalmente - dupla de protagonistas com Natalie Portman e Scarlett Johansson, "He's Just Not That Into You" quase apronta um dream team de beleza e talento. Além da própria Scarlett, no elenco do filme Ken Kwapis, Jennifer Connelly, Drew Barrymore e Jennifer Aniston.

O longa contará a história de quatro relacionamentos que se entrecruzam, protagonizados belas beldades. Sua estréia está prevista apenas para dezembro de 2009, mas desde já promete.

   

Curta - animação

As animações vêm ao longo dos anos ganhando cada vez mais espaço no mercado do cinema. Mas não nos esqueçamos dos curtas, que foi onde tudo começou. Abaixo "L'animateur", uma visão bem particular do mito de Adão e Eva - em stop-motion. Clique na figura.

            Tempo de Duração: 3'42''

Volta

De todas as inúmeras candidatas ao papel de Mulher-Maravilha a mais interessante apareceu agora. Trata-se Katie Holmes, familiarizada com o mundo das HQ's depois de viver a namorada de Bruce Wayne em "Batman Begins". Segundo informações da revista Star, especializada no mundo de celebridades, a mulher de Tom Cruise teria viajado de Berlim, onde ele filma "Valkyrie", para Los Angeles onde discutiria com produtores sua entrada como a famosa amazona dos quadrinhos.

Seria uma volta interessante para Katie, que depois de deixar o amor do morcegão para Maggie Gyllenhaal só teve mais dois projetos: "Obrigado por Fumar" de 2005 e "Mad Money" que deve estrear em 2008 e tem no elenco Queen Latifah e Diane Keaton.

Imitação da vida

Em "Minority Report - A Nova Lei", obra de Philip K. Dick adaptada para o cinema por Steven Spielberg em 2002, uma nova tecnologia antecipa assassinatos e autoriza a polícia prender o indivíduo antes que cometa o crime. Naquela sociedade pensada por Dick, a privacidade é baixada a quase zero. O ambiente é frio e vigiado, por onde anda, leitores de retina o reconhecem, os carros mudam a rota desejada para uma delegacia mais próxima quando descobre que seu ocupante tem alguma pendência com a polícia.

O futuro que fascina e amedronta nas telas do cinema ou em páginas de livros, pode não estar tão longe...

***

Plano high-tech monitora pessoas na China

Pelo menos 20 mil câmeras de segurança policiais estão sendo instaladas em ruas do sudeste da China, tendo como guias em breve softwares sofisticados capazes de reconhecer automaticamente os rostos de suspeitos policiais e detectar atividade não usual. Junto com as câmeras, na cidade de Shenzhen, com 12,4 milhões de habitantes, cartões residenciais equipados com poderosos chips serão impostos para a maior parte dos cidadãos.

 

        

Resumo da Semana

Aproveitando um pé torcido e uma infecção de garganta deu pra rever dois filmes além de atualizar-me no mundo de Tim Burton.

"Magnólia" (Idem, 1999). De Paul Thomas Anderson

Quando vi esse filme pela primeira vez, ainda em VHS, me coloquei na posição de enfrentar - sim, como um martírio - um drama de três horas de duração. Uma jornada por entre vários personagens que ao final era recompensada com muita emoção. Um filme multisignificativo que pode ser visto tanto por aqueles que adoram procurar ligações e segredos dentro de um roteiro, como por aqueles que querem simplesmente ver um ótimo drama muito bem contado. Nota: 10

"O Estranho Mundo de Jack" (The Nightmare Before Christmas, 1993). De Henry Selick

Esse é um dos casos mais interessantes de autoria de uma obra. Henry Selick dirigiu "O Estranho Mundo de Jack" em 1993 sob a batuta de Tim Burton, mas poucos se lembram do nome do diretor quando se fala desse cult. Não à toa, o musical tem todas aquelas características que fazem a cabeça do fãs de Burton, dos ambientes soturnos aos personagens estranhos. Em 2005, Burton se enveredou novamente pelo caminho dos longas-metragens em stop-motion com "A Noiva Cadáver". Em termos de visual chegou à altura de "Jack", seu roteiro, entretanto, fica um pouco a dever. É feio dizer isso, mas só agora pus meus olhos no longa. Nota: 8

"X-Men 2" (X2, 2003). De Bryan Singer

Em 2000, Bryan Singer mostrou o caminho das novas adaptações de HQ's com "X-Men". A lição foi aprendida em filmes como "Homem-Aranha" e "Hulk", ou seja, apesar de toda a fantasia, é necessário pés no chão e personagens como gente comum. Em 2003, o próprio Singer conseguiu de novo e fez uma aventura cheia de ação, com drama e pitadas de comédia. Até agora uma das três melhores adaptações de quadrinhos feitas. Nota: 9

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem