Cinefilia - UOL Blog
Os 10 mais

Quer saber como ter um orgasmo de qualidade? O cinema pode te ajudar.

Clique aqui e veja uma lista de bons clímax (um ou dois nem tão legais assim, é verdade).

Crítica: Shrek Terceiro

Em 2001 a DreamWorks mudou a cara das animações. “Shrek”, ao lado das produções da Pixar, mostrou uma nova forma de se fazer longas animados. O mercado mostrava cansaço em relação ao estilo Disney afundando a bilheteria de “Atlantis”, enquanto o ogro do estúdio de Spielberg abocanhou o Oscar de Melhor Longa-Metragem de Animação, o primeiro entregue pela Academia. O grande sucesso gerou uma continuação tão boa quanto o original em 2004. E para não fugir da moda, esse ano veio o fechamento da trilogia com “Shrek Terceiro” (Shrek the Third, EUA, 2007).

 

As continuações continuam sendo o grande chamariz hollywoodiano para as salas de cinema. Uma boa quantidade delas foi programada para 2007. “Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado”, “Homem-Aranha 3” e “Duro de Matar 4.0” são apenas alguns deles. O terceiro longa do ogro era um dos mais esperados. E a exemplo da nova aventura do aracnídeo criado por Stan Lee, deixa a desejar se comparado aos primeiros. Porém sua queda na qualidade não chega a ser tão drástica.

 

Contando com uma primeira metade muito engraçada, acompanha-se Shrek em busca de Arthur, primo de Fiona que pode assumir o trono depois que o Rei Harold morre. O primeiro na sucessão seria o próprio protagonista, mas como se pode imaginar a única coisa que ele deseja é estar no seu pântano. Enquanto isso, Príncipe Encantado arma da suas e organiza uma rebelião dos vilões.

 

A partir do momento em que a comitiva de Shrek, Burro e Gato de Botas volta com Arthur para Tão, Tão Distante o cansaço se abate sobre o roteiro, que torna-se árido em boas piadas. Dois ou três momentos inspirados ainda levam a história bem – a egoísta Branca de Neve cantando “Immigrant Song” do Led Zeppelin é ótimo.

 

“Shrek Terceiro” já chegou aos cinemas com pelo menos mais duas continuações anunciadas, o que pode ser preocupante com o futuro do divertido personagem. Dizem até que o longa seguinte seria apenas sobre o Gato de Botas. Incógnitas a parte, a única coisa que vem melhorando com o passar do tempo é a qualidade de gráficos da animação. Nunca a concepção da trupe de Shrek foi tão bem acabada.

 

Nota: 7,5

Mais do mesmo?

Repetição de parcerias entre atores que deram certo em algum momento de suas carreiras não é nenhuma novidade. Algumas vezes essas dobradinhas são duradouras, como é o caso de Ginger Rogers e Fred Astaire, que mesmo não se bicando, fizeram uma dezena de filmes juntos. Em 1999, o casal Richard Gere e Julia Roberts se reuniu novamente em "Noiva em Fuga", 9 anos depois do mega sucesso de "Uma Linda Mulher". O resultado, entretanto, não foi o mesmo do início da década de 90. A retomada da parceria fez mais barulho que a produção em si.

O que dizer então de Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, de "Titanic"? Após muitos boatos que ensaiavam seu reencontro, os dois voltam juntos em "Rovolutionary Road", novo longa de Sam Mendes ("Soldado Anônimo"). Na história, o casal é mostrado em sua luta pela sobrevivência no pós-guerra norte-americano, durante a década de 1950.

O longa é baseado no livro de Richard Yates e teve sua primeira foto divulgada (veja abaixo). Kathy Bates, que também fez parte do elenco de "Titanic", se junta ao casal na adaptação.

Refilmagem

Enquanto uns procuram uma maneira de serem originais, continua a mania de Hollywood das refilmagens. Depois de vários terrores da década de 1970 serem revisitados ("O Massacre da Serra Elétrica", "A Casa de Cera") ou clássicos infantis ("A Fantástica Fábrica de Chocolate"), a vez é de "Bullit", de 1968, uma das maiores referências em filmes de ação da história.

O papel do policial vivido por Steven McQueen no original, agora será de Brad Pitt, segundo informações que circulam na internet. Nenhum diretor ainda foi "convocado".

A maldição da Bruxa de Blair

No melhor estilo "Bruxa de Blair", um projeto chamado "Cloverfield" está sendo comentadíssimo na internet. O amante de segredos e mistérios, J. J. Abrams (Lost), é o produtor do longa que mostrará um ataque à Nova Iorque. Especulações e o teaser que vazou na rede - ou foi solto por conta da produção, vai saber - indicam que o tal cataclismo seja um monstro gigante. O pulo do gato do longa está na forma como tudo será mostrado: a partir de gravações amadoras, feitas nas ruas da cidade americana. Abaixo você confere o tal trailer. Vale a pena. Corra e clique na figura, dizem que a Paramount anda tirando o trailer do ar.

Cloverfield

Clique aqui e veja o site oficial, com uma imagem pra lá de hermética em relação ao conteúdo do filme

Até Springfield!

O tão esperado longa-metragem dos Simpsons estréia no Brasil somente na segunda quinzena de agosto. Mas em Las Vegas eles já se sentem em casa. Clique na foto abaixo e veja como a equipe de promoção do filme transformou uma loja de conveniência no kwik-E-mart do Apu.

Novamente agradecimentos ao amigo Douglas do blog Arriving Somewhere but not here

Update

Se é verdade ou não, eu não sei, mas olha o que a mesma equipe aprontou

Karate Kid

Quem aí se lembra do clássico de 1984, "Karatê Kid"? Acho que 90% da galera que tem pelo menos 20 anos guarda algumas lembranças dessa figurinha fácil da Sessão da Tarde. Seja o golpe final de Daniel LaRusso em Johnny, seja o chato gente boa do Sr. Myagi ou mesmo a música-tema do filme ("I am a man who will fight for your hooonor!").

Qual não foi a minha surpresa quando vi o clipe da música "Sweep the Leg" do grupo No More Kings. O vídeo foi dirigido por William Zabka, o lorinho inimigo de Daniel no sucesso da década de 1980. Com grande humor ele se mostra como alguém que vive preso ao passado (os amigos o chamam de Johnny e caçoam da namorada dele quando ela o repreende) e faz um clipe bem divertido, embalado pela animada música dos americanos de Los Angeles.

É ver, relembrar e dar boas risadas. Clique na figura.

Ah! Não deixe de reparar no motorista do carro no final do vídeo.

Achado nos vídeos do perfil do Orkut de Pablo Villaça do Cinema em Cena

Resumo da Semana

Final de semestre na faculadde é complicado. O meu acabou essa semana, por isso apenas um filme nos últimos dias.

"Confissões de uma Mente Perigosa" (Confessions of a Dangerous Mind, 2002). De George Clooney

A estréia de George Clooney na direção não poderia ser melhor acompanhada. O roteiro é do talentosíssimo Charlie Kaufman, o elenco de apoio tem Julia Roberts, Drew Barrymore e Rutger Hauer (como um assassino alemão chamado (!) Keeler). Como protagonista, Sam Rockwell mostra o que é atuar, num papel que parece ter lhe caído como uma luva. Estilo e conteúdo muitíssimo bem dosados. Segunda vez que o vejo. Nota: 8,5

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem