Cinefilia - UOL Blog
Nota Aranha

Só pra esclarecer, galera. Mudei a nota de "Homem-Aranha 3" e me explico:

Comentários de Última Hora (18/05): pensei muito e resolvi tirar 0,5 ponto da nota de "Homem-Aranha 3". Motivo: o filme tinha a mesma nota de longas como "Rocky Balboa" ou "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", exemplares bem melhores que a (boa, e só) terceira incursão de Peter Parker nos cinemas. Então é isso: Nota Final: 7,5

+ elenco

Depois da escolha de Nicolas Cage como Al Capone em "The Untouchables: Capone Rising", o personagem Jim Malone também ganha uma nova face, o escocês Gerard Butler, recentemente visto como Leônidas no épico "300". Ele herda o papel que deu o Oscar de melhor ator coadjuvante a Sean Connery em 1987.

Butler há pouco tempo também foi escalado para a refilmagem do cult "Fuga de Nova York" como o protagonista Snake Plissken. Algo que desagradou profudamente o intérprete original Kurt Russell.

Pacino + De Niro

Os mitos Al Pacino e Robert De Niro atuarão juntos novamente doze anos depois de se digladiarem no policial "Fogo Contra Fogo", de Michael Mann. A nova produção será "Righteous Kill", outro policial, dirigido por John Avnet ("88 Minutos"). O roteiro ficará a cargo de Russell Gewirtz ("O Plano Perfeito") e basicamente mostrará a investigação da dupla formada por De Niro e Pacino, acerca de assassinatos em série.

Além do filme de 1995 e de "Righteous Kill", os atores fizeram parte do elenco de "O Poderoso Chefão Parte II", só que não se encontravam em momento algum do longa. De Niro vivia D. Vito Corleone quando jovem e Pacino era o filho mais novo e chefão sucessor de Vito, Michael.

 

+ Pôster

A Pixar liberou um engraçado pôster de "Ratatouille" para o mercado brasileiro e também o nome dos atores que irão dublar personagens por aqui. Os globais Thiago Fragoso e Samara Felippo darão as vozes brasileiras a Linguini e Colette, originalmente dublados por Lou Romano e Janeane Garofalo.

Resumo do FDS

Toda segunda, a partir de hoje, vou fazer um resumo dos filmes que vi em DVD ou na TV durante o final de semana, mesmo os que já tiver assistido antes. A exceção serão os de cinema, os quais sempre faço críticas. Vamos lá.

"Modigliani" (Idem, 2004). De Mick Davis

Cinebiografia do pintor italiano que mostra a rivalidade/amizade entre ele e Picasso na visão de sua mulher Jeanne, que inicia e finda o filme com sua narração. Há muitos clichês aqui, contudo a direção e a própria história do artista são emocionantes, e somados à boa atuação de Andy Garcia salvam o longa. Nota: 7,5

"Terror em Silent Hill" (Silent Hill, 2006). De Christophe Gans

A adaptação do famoso jogo para as telonas tem clima pesado, boa história, mas não engrena. Aliás, engrena no seu terço final, contudo já estamos tão cansados de não termos o que é prometido durante os dois terços iniciais que chegamos ao bom final totalmente descrentes. Até vale uma espiada, sem grandes expectativas. Nota: 6

"Toy Story 2" (Idem, 1999). De John Lasseter

Uma continuação tão graciosa quanto o original. É a terceira vez que o assisto. Destaco as várias referências a outros filmes, de "2001 - Uma Odisséia no Espaço" a "Star Wars", e a triste sequência em que acompanhamos a história da boneca-vaqueira Jessie. Nota: 8

"Morte Súbita" (Sudden Death, 1995). De Peter Hyams

Época em que Jean-Claude Van Damme ainda tinha seus trabalhos lançados nos cinemas. Bem, confesso que o filme me distrai sempre que o vejo. Apesar de ser do tipo "pai-mostra-aos-filhos-que-merece-seu-respeito-e-salva-o-dia-com-muita-pancadaria" abusando dos clichês, tem um vilão caricato daqueles que você adora odiar. Nota: 5,5

De volta à aposentadoria?

Não é que de repente minha felicidade volta para ser demolida em algumas linhas? Explico: lembram-se da notícia de que Roman Polanksi queria Orlando Bloom para estrelar seu épico "Pompeii"? Pois é, o "ator" não mais poderá fazer o filme devido ao início das filmagens ter sido adiado para abril do ano que vem. "Ótimo", pensei. Mas o que eu não contava era que Bloom já tinha compromissos para a mesma data em 2008, o que me levou à seguinte reflexão, "Droga! Esse negócio de 'aposentadoria temporária' é mais temporário que supunha...". E pior, Scarlett Johansson também descartou a produção pelo mesmo motivo de Legolas.

O bom é que Polanski pode pensar melhor em seu protagonista...


Comentários de Última Hora: no "Atores", e não Atores, Orlando estava com uma bela cabeleira, aqui mostro seu couro cabeludo não tão cabeludo assim (urgh!)

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem