Cinefilia - UOL Blog
Além de Zé do Caixão

Quem não gosta de passar medo num bom filme de terror? Esse blogueiro que vos escreve já gelou a espinha algumas boas vezes em filmes como "O Iluminado" de 1980 e "Ringu" de 1998. Mas e em terras verde e amarelas, você conhece algum ralizador de longas de horror? Pois é, a maioria nunca ouviu falar de cineastas brasileiros dedicados a esse gênero, exceto de José Mojica e seu Zé do Caixão. Pois aqui está uma boa - ou má, dependendo do ponto de vista - oportunidade de conhecer um pouco mais do terror tupiniquim.

Com vocês o estranho "Amor Só de Mãe", de 2003, dirigido por Dennison Ramalho.

Clique nas figuras abaixo.

Parte 1

Parte 2 

Tempo total aprox.: 20 min.

Crítica: Pecados Íntimos

“Pecados Íntimos” (Little Children, EUA, 2006) é daqueles filmes densos que tratam de questões espinhosas. Mas há algo nele que encanta e não o faz parecer apenas mais uma produção pesada ou séria demais.

 

Sarah Pierce (Kate Winslet) e Brad Adamson (Patrick Wilson) são dois adultos um tanto deslocados. Ela se constrange com os cuidados excessivos e certezas que as amigas vizinhas demonstram com seus filhos. Ele passa horas vendo jovens skatistas saltarem em suas rampas e simplesmente não estuda para a prova da que lhe dará a carteira de advogado profissional. Certo dia Sarah flagra seu marido se masturbando com uma calcinha dessas profissionais pornô da Internet. Brad é meio que idealizado pelas mesmas amigas de Sarah. Toda vez que leva seu filho para o parquinho perto de casa agita aquelas mulheres. É quando ele conhece a Sra. Pierce. Um beijo misto de malícia e piada sela um romance tórrido entre os dois.

 

Enquanto eles andam na corda bamba em seu relacionamento adúltero, Ronnie McGorvey (Jackie Earle Haley) volta da cadeia após a condenação por pedofilia. Seu pecado não é perdoado pelos vizinhos que o vêem como uma grande ameaça. De seu lado, ele tenta proteger sua mãe das investidas hostis daquelas pessoas.

 

O diretor Todd Field usa de sua experiência em “Entre Quatro Paredes” de 2001, e mira sua câmera de uma forma muito íntima. As particularidades de cada um dos personagens, bem como suas frustrações, medos e desejos são expostos sem qualquer cerimônia. Em determinado momento a esposa de Brad, Kathy (Jennifer Connelly), desconfia de sua traição ao mesmo tempo em deixa um talher cair no chão durante um jantar. Ela usa essa desculpa para se enfiar para debaixo da mesa e poder pegar as pernas de Brad e Sarah se roçando, algo que não acontece. Mesmo assim Kathy aguarda mais alguns instantes na esperança de um descuido dos amantes.

 

Não podendo ser diferente com Ronnie, Field guarda duas cenas das mais cruéis ao pedófilo. Numa ele entra na piscina pública da vizinhança e olha as crianças nadar, submergido. A reação de todos ao reconhecê-lo é como se descobrissem um tubarão nas águas. A outra é um final deprimente para um encontro.

 

O roteiro vai deixando claro que essas pessoas, na verdade, são adultos imaturos. Suas vidas parecem ter passado rápido demais para que elas crescessem o bastante. Um prefere cabular aula para estar com um grupo de adolescentes que se diverte. Outro sempre esquece de levar o lanche da filha para o parque. E um terceiro, por mais que essa interpretação seja bizarra, sente atração por crianças, alguém que parece estar em sua faixa etária, ainda que se tome isso como algo inconsciente.

 

Na cena em que Kate Winslet vibra com a vitória de Patrick Wilson numa partida de futebol, ela dá saltinhos e gritos eufóricos como uma jovem perto do ídolo. Ele tem aquele ar de meninão e abre um sorriso ao vê-la torcendo. Já Haley, aos 40, ainda está sob a super proteção de sua mãe.

 

O casal de protagonistas vive em um mundo à parte, no qual são crianças crescidas vendo em seus respectivos cônjuges pessoas verdadeiramente adultas. Por isso não é de se estranhar o deslocamento dos dois e posterior atração mútua.

 

Desenvolvendo-se cena a cena, sem pressa, “Pecados Íntimos” só falha em seu final corrido. Os dramas que se acompanha vão ganhando forma e tamanho para em seus últimos minutos, serem resolvidos muito facilmente. Certa força do longa é minada, mas até ali já se está envolvido demais com tudo. De certa maneira, e ainda que isso não venha a condizer com tudo o que foi construído pelo roteiro, é um alívio e uma escapatória da sombra que perturba a todos no filme.

 

Nota: 8

Singer e Cruise

O jornal inglês The Guardian informou que o título do novo filme de Bryan Singer ao lado do roteirista Chris McQuarrie, e estrelado por Tom Cruise, é "Valkyrie", nome da operação frustrada que tentou matar Hitler durante a Segunda Guerra.

As fimagens do longa passarão por alguns países da Europa, concentradas na capital alemã, Berlim.

Bryan Singer

Sarah Michelle Gellar diz não

A ex-Buffy, Sarah Michelle Gellar não aceitou ser vilã em "Dark Knight", novo filme de Batman, segundo o site News of the World. A justificativa da atriz que viveu Daphne em "Scooby-Doo", era incompatibilidade em sua agenda. Boatos dão conta de que Gellar viveria Arlequina, parceira psicótica do Coringa.


Comentários de Última Hora: Ela é bonita e tudo, mas uma atriz fraquinha. Mais: dispensar um Batman de Cristopher Nolan? Sarah deve repensar bem sua carreira, por que a última coisa interessante que fez foi "Segundas Intenções" em 1999. A ver ainda "Southland Tales" de Richard Kelly, produzido no ano passado, mas até agora inédito nos cinemas.

Tarantino e seu Inglorious Bastards... E mais...

Depois de mais de 4 anos de boatos parece que Tarantino vai mesmo tocar "Inglorious Bastards". Com "Grindhouse" finalizado, ele quer trabalhar no roteiro de seu filme de guerra enquanto viaja para divulgar o trabalho que fez ao lado de Robert Rodriguez.

"Inglorious Bastards" fala de um grupo de soldados que armam um ousado plano contra os nazistas para se não serem executados, durante a Segunda Guerra Mundial.


Para os amantes do trabalho do homem que pôs no mundo "Pulp Fiction" e "Kill Bill", um vídeo especial. "Tarantino's Mind", de 2006, nos mostra Selton Mello e Seu Jorge num papo hilário sobre a ligação entre todos os filmes do diretor que dá nome ao curta. Preciosidade que ainda guarda uma bela teoria da conspiração. Cliquem na figura abaixo e aproveitem.

Mais de Burton + Depp

As fotos que andam correndo a internet são as do visual de Johnny Depp no novo filme do astro junto ao diretor Tim Burton, "Sweeney Todd". O site Perez Hilton flagrou o ator em meio às filmagens (veja abaixo).

Na trama ele é um barbeiro assassino que com a ajuda de sua parceira padeira se livra dos corpos enquanto ela faz tortas para sua confeitaria.

No elenco, além de Depp, Sacha Baron Cohen ("Borat"), Helena Bonham Carter ("Clube da Luta") e Alan Rickman ("Perfume").


Cometários de Última Hora: nosso querido Johnny está um cabelo um tanto Cruela DeVil, não? Ou seria Lily Dracula Monstro?

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, UBERLANDIA, Homem